quinta-feira, 28 de abril de 2011

Recebemos um email do John Mundell (muitos de vocês o conhecem, um empresário de Indianápolis, EUA, que trabalha na área Ambiental)

Caros Empresários da EdC:
Hoje (sexta-feira Santa) somos lembrados do mais imprtante segredo para trabalhar "em comunhão" nas nossas empresas: o "sim" de Jesus Abandonado, que gritou "meu Deus, meu Deus...". Esta tem sido a minha experiência como proprietário de uma empresa com a singular vocação de viver com J.A.
Pensando nestes últimos 15 anos houve muitas oportunidades de abraçar J.A.:
- trabalhar longas horas, algumas vezes até ao ponto da total exaustão, e sentir-se totalmente só ao finalizar o trabalho;
- ser mal entendido por um empregado;
- perder um almoço com alguém porque outra pessoa não cumpriu o combinado;
- pagar uma conta com atraso por não ter suficiente dinheiro em caixa;
- não ganhar uma concorrência e não saber o por quê;
- falhar no entregar com qualidade um produto ou serviço, no prazo e dentro do orçamento;
- trabalhar até tarde e perder um importante compromisso em casa;
- trabalhar o dia todo mas esquecendo-se o "porquê" o estamos fazendo;
- ter um funcionário do qual gostava realmente que deixa a empresa procurando outra oportunidade;
- ver dois funcionários brigando por nada;
- descobrir que um concorrente está trabalhando com um dos nossos clientes favoritos;
- trabalhar duro todo o ano e então descobrir que não obteve o nível de lucro que esperava;
- 15 anos X 365 dias por ano X 10 horas por dia = 54.750 J.A.'s.
Com todo esse sofrimento e falta de Unidade algumas vezes sentimos que estamos falhando em nossa missão dentro da Economia de Comunhão. Porque continuar? Porque não abandonar este tipo de vida?
Alguns dias o "homem velho" e o "demônio" parece que sentam-se nos nossos ombros e sussurram: "Desista! O que importa tudo isto?"
Mas, então, decidimos dizer o nosso pequeno "sim" e escolhemos amar no momento seguinte e... a Sexta Feira Santa torna-se Domingo de Páscoa! Alguma coisa dentro de nós muda e cria algo "novo" que nos torna melhores, mais fortes, mais determinados... Nós nos tornamos mais aquele empresário que Deus queria que fôssemos. O desespero muda-se em alegria e felicidade. A escuridão desaparece e o sol nasce...
Eu sou muito agradecido por todos os sofrimentos e dificuldades que encontrei pelo caminho da minha jornada EdC nos últimos 15 anos. Não sou mais a mesma pessoa que era antes de iniciar, com a única "esperança" que a vida poderia ser diferente - e que eu poderia fazer a diferença. Possa o olhar do "Madeiro da Cruz" lembrar-nos que Jesus tornou-se "O Cristo" somente por causa disso - e que cada pequeno "sim" contribui para a nossa santidade individual e a redenção do mundo.
Obrigado Chiara por nos ter ensinado nosso "segredo" para viver "em Comunhão". Isto é o que temos a oferecer a cada um e aos outros no mundo dos negócios.
Então, que todos sejam um!
John Mundell, Indianapolis, U.S.A.


Dear EoC Entrepreneurs:
Today we are reminded of the most important secret to working ‘in communion’ in our businesses:
the ‘yes’ of Jesus Forsaken, who cried out ‘my God, my God’. It’s been my experience that being the
owner of a company gives us a ‘unique’ vocation in living with
J.F. Thinking back these last 15 years, there have been so many opportunities to embrace J.F. that
come to mind:
- working long hours, sometimes to the point of total exhaustion, and feeling very
alone in the finishing of a work task;
- being misunderstood by an employee;
- missing a luncheon appointment with someone because it fell off the schedule;
- being late paying a bill because there is not enough money in the bank;
- not getting selected for a contract, and not knowing why;
- failing to deliver a quality product or service on time and on budget;
- working late and missing an important event at home;
- working the entire day without remembering the ‘why’ of what we are doing;
- having a employee you really like leave the company for another opportunity;
- seeing two employees argue about something;
- finding out a competitor has been working with one of your favorite clients;
- working hard all year and not seeing the level of profits you had hoped; and
- 15 years x 365 days per year x 10 times per day = 54,750 J.F.’s

With each of these sufferings and lack of unity, we sometimes we can feel that we are failing at our
mission in the Economy of Communion. Why go on? Am I really cut out for this kind of life? Some
days the ‘old man’ and ‘the devil’ seem to sit on our right shoulder and whisper to us at every
turn: Just give up! What does it matter?

But then, we decide to say our little ‘yes’, and choose to love in that next moment, and….Good
Friday turns into Easter morning! Something inside of us changes, and it creates something ‘new’ in
us that makes us better, and stronger, and more determined. We become more of the entrepreneur and
person God wants us to be. Despair turns to joy and happiness. Darkness fades, and the sun rises.

I am so thankful for all of the sufferings and difficulties that I have encountered along the road
of my personal EoC journey these last 15 years. I am not the same person that I was when I started
out with only the ‘hope’ that life could be different, and that I could make a difference. May the
sight of the ‘Wood of the Cross’ remind us that Jesus became ‘The Christ’ only because of it, and
that each small ‘yes’ contributes to our personal sanctity and the redemption of the world.

Thank you Chiara for teaching us our ‘secret’ to working ‘in communion’. It is really what we have
to offer to others in the business world and to each other.

So that all may be one! John Mundell, Indianapolis, U.S.A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário