segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Comunicar a Graça de Deus

Maria foi, e sempre será, a mãe de Jesus. Um dia disse Jesus:

“Quem é minha mãe? Minha mãe é toda pessoa que faz a vontade de Deus”. Cumprindo a vontade de Deus, abandonando-se a Ele, dizendo-lhe “que tudo se faça segundo a tua palavra”, Maria foi cumulada de graças. Quando o anjo veio até ela para anunciar-lhe que ela seria a mãe de Jesus, ela respondeu simplesmente: “Eu sou a serva do Senhor”.

Quando Jesus entrou assim em sua vida, Maria dirigiu-se a toda pressa à casa de sua prima Isabel, para fazer o trabalho de uma serva. Ao chegar a casa de Isabel, algo estranho aconteceu. Ninguém sabia que Jesus vinha, ninguém sabia que Jesus o filho de Deus, se encontrava no seio de Maria. Mas a criancinha que estava ainda no seio de Isabel estremeceu de alegria a este primeiro contato com o Cristo, como na presença do próprio Deus.

Que coisa estranha, ver que uma criancinha inocente e sem defesa, ainda no ventre de sua mãe, é o primeiro escolhido para recolher a vinda de Cristo Como João cada criancinha foi criada para viver o que há de mais grandioso: amar e ser amado. De qualquer maneira, Maria foi para João como que maravilha fio condutor: a graça que ela havia sido cumulada foi por ela transmitida ao filho de Isabel.

Abandonado-nos a Deus, dizendo como Maria “que tudo se faça segundo a tua palavra”, nós podemos pedir a Deus que si sirva também de nós, através do mundo, como de fios condutores para que a graça de Deus, da qual fomos cumulados, passe através de nós e se comunique ao coração dos homens.

Chiara Lubich

Nenhum comentário:

Postar um comentário