terça-feira, 21 de agosto de 2012

Crise de relacionamento é mais grave do que a econômica

Terça-feira, 21 de agosto de 2012, 15h54

Agência Ecclesia


Site do Movimento
Maria Voce durante visita a Cidadela Arco-Íris em Portugal
“A humanidade vive uma crise que não é tanto política, econômica, financeira, mas de relação e relacionamento”, afirmou a presidente do Movimento dos Focolares, Maria Voce, que visita Portugal pela primeira vez.

A visita, iniciada na quarta-feira, 15, acontece no seguimento da comemoração do 15º aniversário da fundação do centro de atividades do movimento em Portugal, a ‘Cidadela Arco-Íris’, situada no Concelho de Alenquer, a cerca de 45 km de Lisboa. Maria Voce permanece no país até amanhã.

Diante dessa crise da humanidade, a responsável assume como prioridade do Movimento dos Focolares a necessidade de “curar” os relacionamentos entre “pessoas, grupos, Estados” na sociedade atual.

Para a presidente, a atual crise pode levar as pessoas a “olharem mais para as necessidades dos outros, a serem mais solidárias”, embora a situação não seja “positiva”, em si própria.

Maria Voce, que integra o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, da Santa Sé, sublinha a importância de “caminhar em conjunto” com as pessoas de hoje, incluindo as de outras religiões, para “descobrir os dons que existem nas outras realidades”.

“Aquilo que é pedido à Igreja é que seja todo o Povo de Deus a anunciar Cristo ao mundo”, acrescentou, antes de recordar que cada vez menos pessoas entram nas igrejas. [As pessoas] “estão no trabalho, na rua, mas com a mesma sede, a mesma necessidade de Deus”, disse.

Em relação ao Ano da Fé, que a Igreja Católica vai viver entre outubro de 2012 e novembro de 2013, a presidente do MF diz que é uma oportunidade para redescobrir “o valor do Transcendente, a paternidade de Deus”.


Maria Voce

Nascida em Ajello Calabro, na região italiana de Cosenza, a 16 de julho de 1937, Maria Voce assumiu a liderança dos Focolares em 2008, sucedendo a Chiara Lubich, que faleceu em março daquele ano.

A italiana admite que a sua missão implica uma “grande responsabilidade”, mas sublinha que o carisma dos Focolares é de “comunhão”, pelo que existe uma partilha desse encargo.

Fundado em 1943, na cidade italiana de Trento, o Movimento dos Focolares assumiu-se inicialmente como uma força de renovação espiritual e social no contexto da II Guerra Mundial.

Maria Voce mostra-se “felicíssima” com a situação do MF em Portugal, que apresenta como “uma pequena semente que pode dar fruto”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário